Translate this Page
ONLINE
1


Partilhe esta Página


Perigos da Goetia
Perigos da Goetia

Volta e meia aparece algum menor de idade em nossos grupos do Facebook – ou mesmo um praticante ligeiramente mais velho – perguntando sobre Goétia (ou Goécia).

O que vem a ser esse sistema?

Basicamente consiste num sistema de magia onde o mago evoca (veja bem, EVOCA e não INVOCA) demônios para realizar tarefas e ações para o mago.

Creio que vocês em algum momento de sua vida mágica possam aprender ou estudar sobre o assunto.

Goétia, entretanto, é a forma mais perigosa de magia que alguém pode vir a lidar.

Esse sistema é algo que serve a magos experientes e se essa é a sua primeira opção de técnica, esteja ciente que o pior pode acontecer.

Como opção, ela deve figurar como ultimo recurso, quando o prejuízo for maior do que a escolha pelo sistema.

Se você decide por esse sistema apenas para impressionar uma pessoa ou grupo de pessoas – e não para salvar a vida de sua mãe com câncer, por exemplo – pode ter certeza que você já começou errado.

Goétia não é apenas mais um sistema de magia, e muitas de suas variações vão de perigosas a letais.

Antes de realmente começar a estudar esse sistema leve em consideração os seguintes pontos:

1) O quanto você sabe de magia?

Goétia não é um assunto para novatos. Bons praticantes do sistema levam anos de treinamento formal numa tradição mágica – que nem sempre tem a ver com bruxaria – antes de se arriscar a praticar esse sistema.

2) O que são demônios?

Alguns argumentam que eles são apenas forma-pensamento, uma egrégora desenvolvida por séculos a fio. Outros acreditam que eles sejam seres da mesma categoria que Anjos, Dragões e tantos outros, com nível de poder equivalente. Qualquer que seja o caso, eles são de fato mais poderosos que qualquer humano, tanto em termos individuais, quanto em termos de contatos, aliados e seres submetidos a sua vontade.

3) Um dos sistemas goéticos (aquele definido pelo Crowley ) visa o controle de demônios que por sua vez estão presos em selos e isso exige que o mago seja capaz de realizar corretamente cada passo do sistema sem que isso o coloque em risco.

Mesmo que você faça o passo a passo e invoque corretamente o demônio (escolhendo direito o selo) e saiba usar suas armas mágicas corretamente, você sempre tem o ônus de ter que negociar com ele.

Aí é que está o problema... se eu que tenho apenas 50 anos nessa vida posso convencer vocês de meu ponto de vista, o que pensar de um ser com várias centenas de anos, poderes telepáticos e um exército sob o controle dele? No momento que você se abre para o Demônio, isso passa a ser como um jogo entre dois hackers, um tentando invadir o computador do outro, e que neste caso, consiste em ganhar controle sobre o poder do Demônio contra o Demônio ganhar poder sobre sua alma.

É justamente aí que está um dos maiores riscos.

4) Você é interessante para o demônio?

Explico-me: digamos que você seja um ser de 3800 anos (ou mais) com um exército sob seu comando, com poderes incomensuráveis, mas que por algum motivo você está ligado a um selo que permite que um adolescente cheio de espinhas possa te invocar no meio da madrugada.

Por que diabos (com o perdão do trocadilho), você iria ajudar o moleque que deseja na verdade aparecer para os amigos?

É muito mais interessante atender um mago experiente, com excelentes relações entre os planos do que dar bola para um moço(a) que ainda tem cheiro de leite.

Isso faz a gente retornar ao tópico 1: quanto mais magia você sabe, mais interessante você fica.

Do mesmo modo, quanto mais magia você sabe, menos interessante o sistema te parece.

Noutras palavras, isso é como ir ao banco pedir empréstimo. Para conseguir recursos, você precisa mostrar que tem recursos como garantia.

5) Quando você não é interessante o bastante para um demônio, então provavelmente ele vai tentar transformar você no “lanche” dele.

Voltemos ao nosso demônio hipotético de 3800 anos e nosso adolescente cheio de espinhas... “bom, o moleque não serve para fazer uma troca interessante, então vou tentar enganá-lo para que ele se torne fonte de energia para mim”.

Ao longo dos meses, dependendo de como essa relação transcorre, o rapaz pode efetivamente se tornar uma mera marionete, onde o demônio irá sugar energia vital dele, na medida em que alimenta ilusões para que o alvo não escape.

Divertido, não?

6) Certos sistemas Goéticos visam o controle de nossos demônios interiores. Não é o mesmo que lidar com a Sombra, apesar da semelhança dos processos e conceitos.

Eles não são menos perigosos... Você sempre corre o risco de ter uma forma-pensamento surgida de um complexo psicológico seu solta no mundo, próxima a você, causando danos. Seja cuidadoso.

7) Existem ainda outros demônios que não serão encontrados em Selos.

Se decidir entrar em contato com seres dessa natureza, esteja preparado para caso algo dê errado. Você não tem nada que possa usar para negociar com eles. Por isso, a não ser que você seja um humano excepcionalmente capaz, é possível que ele tente te destruir só pelo incomodo.

9) Mesmo que você tenha anos de pratica com processos de autoconhecimento, sempre há uma parte de você terrível, maléfica.

E é justamente esse aspecto da sua personalidade que entra em ressonância com o Demônio.

Concluindo, reflitam sobre esses pontos com calma.

Se seu caminho mágico incluir esse sistema, nada do que eu diga ou faça vai impedi-los de aprender na hora certa. Entretanto, 99% do tempo, vocês não precisarão contar com a Goétia para resolver seus problemas e quando vocês tiverem problemas o suficiente para ter que resolver dessa forma, muito provavelmente já serão capazes o bastante para saber usar outras ferramentas.

 

Copyright ©